Michel Tremblay

Michel Tremblay

Michel Tremblay , CQ (nascido em 25 de junho de 1942) é um romancista e dramaturgo franco-canadense . Ele nasceu em Montreal , Quebec , onde cresceu no bairro francófono de Plateau Mont-Royal ; na época de seu nascimento, um bairro de caráter operário e dialeto joual - algo que influenciaria fortemente sua obra. A primeira peça de Tremblay produzida profissionalmente, Les Belles-Sœurs , foi escrita em 1965 e estreada no Théâtre du Rideau Vert em 28 de agosto de 1968. Ela transformou a velha guarda do teatro canadense e introduziu o joualao mainstream. Despertou controvérsia ao retratar a vida das mulheres da classe trabalhadora e atacar a sociedade estreita e profundamente religiosa de meados do século XX em Quebec.

Michel Tremblay
Retrato de Tremblay
Michel Tremblay no Salon du livre de Montreal (2017)
Nascer ( 1942-06-25 )25 de junho de 1942 (79 anos)
Montreal, Quebec , Canadá
Ocupação Escritor, romancista, dramaturgo
Linguagem Francês
Trabalhos notáveis

Livros-aj.svg aj ashton 01.svg Portal de literatura

Seu trabalho e seu impacto

Os efeitos mais profundos e duradouros das primeiras peças de Tremblay, incluindo Hosanna e La Duchesse de Langeais , foram as barreiras que derrubaram na sociedade de Quebec. [ carece de fontes ] Até a Revolução Silenciosa do início dos anos 1960, Tremblay via Quebec como uma província pobre da classe trabalhadora dominada por uma elite de língua inglesa e pela Igreja Católica Romana . A obra de Tremblay fazia parte de uma vanguarda do pensamento liberal e nacionalista que ajudou a criar uma sociedade essencialmente moderna. Suas peças mais famosas são geralmente centradas em personagens gays. A primeira peça canadense sobre e estrelada por uma drag queen foi sua peça Hosanna , que foi apresentada pela primeira vez noThéâtre de Quat'Sous em Montreal em 1973. [1] As mulheres em suas peças são geralmente fortes, mas possuídas por demônios que devem vencer. Diz-se que ele vê Quebec como uma sociedade matriarcal. Ele é considerado um dos melhores dramaturgos para mulheres. No final dos anos 1980, Les Belles-sœurs ("As irmãs-de-lei") foi produzido na Escócia em escocês , como The Guid-Sisters ("guid-sister" sendo escocesa para "cunhada"). Seu trabalho foi traduzido para muitas línguas, incluindo iídiche , e incluindo obras como Sainte-Carmen de la Main , Ç'ta ton tour, Laura Cadieux e Forever Yours, Marilou (À toi pour toujours, ta Marie-Lou ).

Ele foi abertamente gay ao longo de sua vida pública e escreveu muitos romances ( A Duquesa e o Plebeu , La nuit des princes charmants , Le Coeur découvert , Le Coeur éclaté ) e peças de teatro ( Hosanna , La duchesse de Langeais , Fragments de mensonges inutiles ) centrado em personagens gays. [2] Em uma entrevista de 1987 com Shelagh Rogers para o The Arts Tonight da CBC Radio, comentou que sempre evitou comportamentos que considerava masculinos; por exemplo, ele não fuma e observou que tinha 45 anos e não sabia dirigir um carro. "Acho que sou uma raça rara", disse ele, "um homossexual que não gosta de homens". Ele afirma que um de seus maiores arrependimentos na vida foi não ter contado à mãe que era gay antes de ela morrer.

Sua última peça a receber grande aclamação é For the Pleasure of Seeing Her Again , uma peça cômica e nostálgica, centrada nas memórias de sua mãe. Mais tarde, ele publicou o Plateau Mont-Royal Chronicles, um ciclo de seis romances, incluindo The Fat Woman Next Door is Pregnant ( La grosse femme d'à côté est enceinte , 1978) e The Duchess and the Commoner ( La duchesse et le roturier , 1982 ). ). O segundo romance desta série, Therese and Pierrette and the Little Hanging Angel ( Thérèse et Pierrette à l'école des Saints-Anges , 1980), foi um dos romances escolhidos para inclusão na versão francesa de Canada Reads ,Le combat des livres , transmitido pela Radio-Canada em 2005, onde foi defendido pela ativista sindical Monique Simard .

Tremblay também trabalhou em uma série de televisão intitulada Le Cœur découvert ( The Heart Laid Bare ), sobre a vida de um casal gay em Quebec, para a rede de TV de língua francesa Radio-Canada . Em 2005 completou outro ciclo de romances, os Cahiers ( Le Cahier noir (traduzido como O Caderno Negro ), Le Cahier rouge , Le Cahier bleu ), tratando das mudanças ocorridas na Montreal dos anos 1960 durante a Revolução Silenciosa. Em 2009 , The Fat Woman Next Door foi finalista no prestigiado concurso Canada Reads da CBC.

Ideologia política

Por muitos anos, Tremblay acreditou que a única solução razoável para Quebec é separar-se do Canadá. Uma vez que o Parti Québécois foi eleito em Quebec, ele suavizou suas opiniões sobre permitir que suas peças fossem produzidas em inglês lá. Ele deixou claro, no entanto, que isso não significava que concordasse com o bilinguismo , chamando-o de "estúpido" e afirmando que achava ridículo esperar que uma dona de casa em Vancouver fosse fluente em inglês e francês. [3]

Apesar de suas opiniões muitas vezes francas em público, o tratamento da política de Tremblay em suas peças é sutil. Falando de política e teatro em uma entrevista à CBC em 1978, Tremblay disse:

"Sei o que quero no teatro. Quero um verdadeiro teatro político, mas sei que o teatro político é chato. Escrevo fábulas." [3]

Em abril de 2006, ele declarou que não apoiava os argumentos apresentados para a separação de Quebec. Mas ele esclareceu seus pensamentos algum tempo depois, dizendo que ainda era um defensor da soberania de Quebec , embora crítico do estado atual do debate, que em sua opinião estava muito focado em questões econômicas. Em resposta a isso, o colunista Marc Cassivi de La Presse escreveu que "só havia um armário que um artista de Quebec nunca poderia sair e esse era o federalista". [4]

Prêmios e honras

Tremblay recebeu inúmeros prêmios em reconhecimento ao seu trabalho. Estes incluem o Prix Victor-Morin (1974), o Prix France-Québec (1984), o Chalmers Award (1986) e o Molson Prize (1994).

Ele recebeu o prêmio do tenente-governador de Ontário em 1976 e 1977. Tremblay foi nomeado "Montréalais le plus remarquable des deux dernières décennies dans le domaine du théâtre" (o mais notável Montrealer das últimas duas décadas no teatro) (1978). Em 1991 foi nomeado Officier de l'Ordre de France e, no mesmo ano, Chevalier de l'Ordre National du Québec . Ele também é um destinatário do Chevalier de l'Ordre des Arts et des Lettres de France (1994).

Em 1999, Tremblay recebeu o Governor General's Performing Arts Award , a mais alta honraria do Canadá nas artes cênicas. [5] Isso gerou controvérsia quando vários nacionalistas famosos de Quebec sugeriram que ele deveria recusar o prêmio. Embora não tenha feito isso, ele admitiu, pela primeira vez, que havia recusado a Ordem do Canadá em 1990.

Em 2000, Encore une fois, si vous le permettez ( For The Pleasure of Seeing Her Again ) ganhou um Chalmers Award e um Dora Mavor Moore Award . [6]

Funciona

Romances e coleções de contos

Nota: A maioria dos títulos também está disponível em traduções para o inglês

La grosse femme d'à côté est enceinte (1978) ( The Fat Woman Next Door is Pregnant )
Thérèse et Pierrette à l'école des Saints-Anges (1980) ( Therese and Pierrette and the Little Hanging Angel )
La Duchesse et le roturier (1982) ( A Duquesa e o Plebeu )
Des nouvelles d'Édouard (1984) ( Notícias de Édouard )
Le Premier Quartier de la lune (1989) ( O Primeiro Quarto da Lua )
Um objeto de beleza (1997) ( A Thing of Beauty )
  • A trilogia do caderno:
Le Cahier noir (2003) ( O Caderno Negro )
Le Cahier Rouge (2004) ( O Caderno Vermelho )
Le Cahier bleu (2005) ( O Caderno Azul )

Tocam

Nota: A maioria dos títulos também está disponível em traduções para o inglês

  • Le Train , 1964. ("O Trem")
  • En pièces détachées , 1970. (disponível em inglês como "In Parts")
  • Trois petits tourts , 1971. ("Three Pies")
  • À toi, pour toujours, ta Marie-Lou (1971) ( Forever Yours, Marilou )
  • Les Belles-Sœurs , 1968. (disponível em inglês como "The Sisters In-Law" e em escocês como The Guid-Sisters )
  • Demain matin, Montreal m'attend , 1972. ("Tomorrow Morning, Montreal Waits for Me")
  • Hosanna et La Duchesse de Langeais , 1973. (disponível em inglês como Hosanna e La Duchesse de Langeais )
  • Bonjour, là, bonjour , 1974. (disponível em inglês como Hello There, Hello )
  • Les Héros de mon enfance , 1976. ("Os heróis da minha infância")
  • Sainte Carmen de la Main e Surpresa! Surpresa ! , 1976 (Sob o nome Sainte-Carmen of the Main , esta peça recebeu sua primeira exibição nos Estados Unidos no Cubiculo Theatre de Nova York em 1986) [ carece de fontes ]
  • Damnée Manon, sacrée Sandra , 1977. ("Manon Damned, Sacred Sandra", disponível em inglês como Damnée Manon, sacrée Sandra )
  • L'Impromptu d'Outremont , 1980. ( O improviso de Outremont )
  • Les Anciennes Odeurs , 1981. ("Os Odores Antigos")
  • Albertine en cinq temps , 1984 ( Albertine in Five Times )
  • Le Gars de Québec: d'après le Revizor de Gogol , 1985. ("Os meninos de Quebec do inspetor do governo por Gogol")
  • Le Vrai Monde? , 1987. ( O mundo real? )
  • Nelligan , 1990. ("Nelligan")
  • La Maison suspendue , 1990. ( The House Adjourned, disponível em inglês como La Maison suspendue )
  • Marcel poursuivi par les chiens , 1992. ( Marcel Persued by the Hounds )
  • Em circuito fechado , 1994. ("Circuito Fechado")
  • Messe solennelle pour une pleine lune d'été , 1996. ("Solemn Mass for a Full Moon Summer")
  • Encore une fois si vous permettez , 1998 ( Para o prazer de vê-la novamente )
  • L'État des lieux , 2002. ("A Situação Atual")
  • Imperatif presente , 2003. ("Presente")
  • Bonbons assortis au théâtre , 2006 ( Doces Sortidos para o Teatro )
  • Le Paradis à la fin de vos jours , 2008 ("Paraíso no final de seus dias")
  • Fragments de mensonges inutiles , 2009 ("Pieces of useless lies")
  • L'Oratorio de Noël , 2012

Roteiros de filmes

Trabalhos sobre Tremblay

  • Tremblay, Michel. (2003). Nascimento de um leitor ávido . Traduzido por Sheila Fischman. Talonbooks: Vancouver, BC. ISBN  978-0-88922-476-6 .
  • Tremblay, Michel. (1998). Bambi e eu . Traduzido por Sheila Fischman. Talonbooks: Vancouver, BC. ISBN 978-0-88922-380-6 . 
  • Renate Usmiani, Michel Tremblay . Douglas e McIntyre, 1982, ISBN 0-295-95863-4 
  • Gilbert David e Pierre Lavoie, editores, "Le Monde de Michel Tremblay". Cahiers de Théâtre JEU/Éditions Lansman, 1993.
  • Craig Walker , "Michel Tremblay: Mitopeia Existencial," O Astrolábio Enterrado: Imaginação Dramática Canadense e Tradição Ocidental . UP de McGill-Queen, 2001, ISBN 0-7735-2074-0 (capa dura), ISBN 0-7735-2075-9 (brochura)  

Referências

  1. ^ Tremblay, Michel (1991) [1973]. Hosana . Traduzido por Van Burek, John; Glassco, Bill. Vancouver, BC: Leméac Éditeur.
  2. Lachance, François (2002), "Tremblay, Michel" , glbtq.com , arquivado do original em 2007-08-14 , recuperado em 2007-08-18
  3. ^ a b [1] CBC 28 de março de 1978
  4. A crença que não ousa falar seu nome , The Globe and Mail , 15 de abril de 2006
  5. ^ "biografia de Michel Tremblay" . Fundação de Prêmios de Artes Cênicas do Governador Geral . Recuperado em 4 de fevereiro de 2015 .
  6. ^ Tremblay, Michel Canadian Theatre Encyclopedia 2005-02-04

links externos