Stefan Zweig

Stefan Zweig

Stefan Zweig ( / z w ɡ , s w ɡ / ; [1] alemão: [ˈʃtɛ.fan t͡svaɪ̯k] ( ouvir ) ; 28 de novembro de 1881 - 22 de fevereiro de 1942) foi um romancista, dramaturgo, jornalista e biógrafo austríaco. No auge de sua carreira literária, nas décadas de 1920 e 1930, foi um dos escritores mais traduzidos e populares do mundo. [2]

Stefan Zweig
Stefan Zweig2.png
Stefan Zweig, c.  1912
Nascer (1881-11-28)28 de novembro de 1881
Faleceu 22 de fevereiro de 1942 (1942-02-22)(60 anos)
Ocupação
  • Romancista
  • dramaturgo
  • jornalista
  • biógrafo
Conhecido por O Jogo Real , Amok , Carta de uma Mulher Desconhecida , Confusão
Cônjuge(s) Friderike Maria von Winternitz (nascido Burger) (1920-1938; divorciado)
Lotte Altmann (1939-1942; sua morte)
Assinatura
Assinatura Stefan Zweig 1927.svg

Zweig foi criado em Viena , Áustria-Hungria . Ele escreveu estudos históricos de figuras literárias famosas, como Honoré de Balzac , Charles Dickens e Fiódor Dostoiévski em Drei Meister (1920; Três Mestres ), e eventos históricos decisivos em Sternstunden der Menschheit (1928; publicado em inglês em 1940 como The Tide da Fortuna: Doze Miniaturas Históricas ). Ele escreveu biografias de Joseph Fouché (1929), Mary Stuart (1935) e Marie Antoinette ( Marie Antoinette: The Portrait of an Average Woman, 1932), entre outros. A ficção mais conhecida de Zweig inclui Carta de uma mulher desconhecida (1922), Amok (1922), Medo (1925), Confusão de sentimentos (1927), Vinte e quatro horas na vida de uma mulher (1927), o romance psicológico Ungeduld des Herzens ( Beware of Pity , 1939) e The Royal Game (1941).

Em 1934, como resultado da ascensão do Partido Nazista na Alemanha, Zweig emigrou para a Inglaterra e depois, em 1940, mudou-se brevemente para Nova York e depois para o Brasil, onde se estabeleceu. Em seus últimos anos, ele se declararia apaixonado pelo país, escrevendo sobre ele no livro Brasil, Terra do Futuro . No entanto, com o passar dos anos, Zweig ficou cada vez mais desiludido e desesperado com o futuro da Europa, e ele e sua esposa Lotte foram encontrados mortos por overdose de barbitúricos em sua casa em Petrópolis em 23 de fevereiro de 1942; eles haviam morrido no dia anterior. Seu trabalho tem sido a base para várias adaptações cinematográficas. As memórias de Zweig, Die Welt von Gestern ( O mundo de ontem ,1942), é conhecido por sua descrição da vida durante os anos de declínio do Império Austro-Húngaro sob Franz Joseph I e tem sido chamado de livro mais famoso sobre o Império Habsburgo . [3]

Biografia

Stefan Zweig (em pé) em Viena com seu irmão Alfred (1879–1977), por volta de 1900

Zweig nasceu em Viena, filho de Ida Brettauer (1854–1938), filha de uma família judia de banqueiros, e Moritz Zweig (1845–1926), um rico fabricante têxtil judeu . [4] Ele era parente do escritor tcheco Egon Hostovský , que o descreveu como "um parente muito distante"; [5] algumas fontes os descrevem como primos. [ citação necessária ]

Zweig estudou filosofia na Universidade de Viena e em 1904 obteve um doutorado com uma tese sobre "A Filosofia de Hippolyte Taine ". A religião não desempenhou um papel central em sua educação. "Minha mãe e meu pai eram judeus apenas por acidente de nascimento", disse Zweig mais tarde em uma entrevista. No entanto, ele não renunciou à sua fé judaica e escreveu repetidamente sobre judeus e temas judaicos, como em sua história Buchmendel . Zweig tinha uma relação calorosa com Theodor Herzl , o fundador do sionismo , que conheceu quando Herzl ainda era editor literário do Neue Freie Presse , então o principal jornal de Viena; Herzl aceitou para publicação alguns dos primeiros ensaios de Zweig. [6]Zweig, um cosmopolita convicto, [7] acreditava no internacionalismo e no europeísmo , como deixa claro The World of Yesterday , sua autobiografia: "Desde o início, tive certeza de minha identidade como cidadão do mundo". [8] De acordo com Amos Elon , Zweig chamou o livro de Herzl Der Judenstaat de um "texto obtuso, [um] absurdo". [9]

Zweig serviu nos Arquivos do Ministério da Guerra e adotou uma postura pacifista como seu amigo Romain Rolland , ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1915. Zweig casou -se com Friderike Maria von Winternitz (nascida Burger) em 1920; eles se divorciaram em 1938. Como Friderike Zweig, ela publicou um livro sobre seu ex-marido após sua morte. [10] Mais tarde, ela também publicou um livro ilustrado sobre Zweig. [11] No final do verão de 1939, Zweig casou-se com sua secretária Elisabet Charlotte "Lotte" Altmann em Bath , Inglaterra . [12] A secretária de Zweig em Salzburgo de novembro de 1919 a março de 1938 foi Anna Meingast (13 de maio de 1881, Viena - 17 de novembro de 1953, Salzburgo).[13]

Rua com o nome de Zweig em Laranjeiras , Rio de Janeiro
Uma página do Livro Negro ( Sonderfahndungsliste GB , página 231 Z ). Zweig é o penúltimo na página, junto com seu endereço completo em Londres.

Como judeu, o alto perfil de Zweig não o protegeu da ameaça de perseguição. Em 1934, após a ascensão de Hitler ao poder na Alemanha, Zweig deixou a Áustria e foi para a Inglaterra, vivendo primeiro em Londres e, a partir de 1939, em Bath . Por causa do rápido avanço das tropas de Hitler para o oeste, e a ameaça de prisão ou pior – como parte dos preparativos para a Operação Seelöwe uma lista de pessoas a serem detidas imediatamente após a conquista das Ilhas Britânicas, o chamado Livro Negro , havia sido reunido e Zweig estava na página 231, com seu endereço de Londres totalmente mencionado – Zweig e sua segunda esposa cruzaram o Atlântico para os Estados Unidos, estabelecendo-se em 1940 na cidade de Nova York ; viveram por dois meses como hóspedes deUniversidade de Yale em New Haven, Connecticut , então eles alugaram uma casa em Ossining , Nova York .

Em 22 de agosto de 1940, eles se mudaram novamente para Petrópolis , uma cidade montanhosa colonizada pelos alemães a 68 quilômetros ao norte do Rio de Janeiro . [14] Zweig, sentindo-se cada vez mais deprimido com a situação na Europa e o futuro da humanidade, escreveu em uma carta ao autor Jules Romains : "Minha crise interior consiste em que não sou capaz de me identificar com o eu do passaporte, o eu do exílio". [15] Em 23 de fevereiro de 1942, os Zweigs foram encontrados mortos por overdose de barbitúricos em sua casa na cidade de Petrópolis, de mãos dadas. [16] [17]Ele estava desesperado com o futuro da Europa e sua cultura. "Acho melhor concluir em tempo útil e em pé erguido uma vida em que o trabalho intelectual significasse a mais pura alegria e a liberdade pessoal o maior bem da Terra", escreveu. [18]

A casa dos Zweigs no Brasil foi posteriormente transformada em centro cultural e hoje é conhecida como Casa Stefan Zweig .

Trabalhar

Zweig foi um escritor proeminente nas décadas de 1920 e 1930, fazendo amizade com Arthur Schnitzler e Sigmund Freud . [19] Ele era extremamente popular nos Estados Unidos, América do Sul e Europa, e continua assim na Europa continental; [2] no entanto, ele foi amplamente ignorado pelo público britânico. [20] Sua fama na América havia diminuído até a década de 1990, quando começou um esforço por parte de vários editores (notadamente Pushkin Press , Hesperus Press e The New York Review of Books ) para que Zweig voltasse a ser impresso em inglês. [21] Plunkett Lake Press reeditou versões eletrônicas de suas obras de não-ficção. [22]Desde então, houve um ressurgimento marcante e vários livros de Zweig voltaram a ser impressos. [23]

A opinião crítica de sua obra está fortemente dividida entre aqueles que elogiam seu humanismo, simplicidade e estilo eficaz, [21] [24] e aqueles que criticam seu estilo literário como pobre, leve e superficial. [20] Michael Hofmann ataca duramente o trabalho de Zweig. Hofmann usa o termo "vermicular dither" para se referir a uma passagem atribuída a Zweig e citada em 1972, embora a passagem não ocorra na obra publicada de Zweig. Hofmann acrescenta que em sua opinião "Zweig apenas tem gosto falso. Ele é a Pepsi da escrita austríaca." Mesmo a nota de suicídio do autor, Hofmann sugere, faz com que se sinta "o irritável aumento do tédio no meio dela, e a sensação de que ele não quis dizer isso., seu coração não está nisso (nem mesmo em seu suicídio)". [25]

Zweig é mais conhecido por suas novelas (principalmente The Royal Game , Amok e Letter from an Unknown Woman – que foi filmado em 1948 por Max Ophüls ), romances ( Beware of Pity , Confusion of Feelings , e o postumamente publicado The Post Office Girl ) e biografias (nomeadamente de Erasmo de Roterdão , Fernão de Magalhães e Maria, Rainha da Escócia , e também a publicada postumamente em Balzac). Ao mesmo tempo, seus trabalhos foram publicados sem seu consentimento em inglês sob o pseudônimo de "Stephen Branch" (uma tradução de seu nome real) quando o sentimento anti-alemão estava em alta. Sua biografia de 1932 da rainha Maria Antonieta foi adaptada pela Metro-Goldwyn-Mayer como um filme de 1938 estrelado por Norma Shearer .

As memórias de Zweig , [26] [27] [28] The World of Yesterday , foram concluídas em 1942, um dia antes de morrer por suicídio. Tem sido amplamente discutido como um registro "do que significava estar vivo entre 1881 e 1942" na Europa central; o livro atraiu tanto elogios da crítica [21] quanto rejeição hostil. [25]

Cópia sobrevivente do romance de Zweig Amok (1922) queimado pelos nazistas

Zweig reconheceu sua dívida com a psicanálise. Em uma carta datada de 8 de setembro de 1926, ele escreveu a Freud : "A psicologia é o grande negócio da minha vida". Ele continuou explicando que Freud teve uma influência considerável sobre vários escritores como Marcel Proust , DH Lawrence e James Joyce , dando-lhes uma lição de "coragem" e ajudando-os a superar suas inibições. "Graças a você, vemos muitas coisas. – Graças a você, dizemos muitas coisas que de outra forma não teríamos visto nem dito." A autobiografia, em particular, tornou-se "mais perspicaz e audaciosa". [29]

Zweig desfrutou de uma estreita associação com Richard Strauss e forneceu o libreto de Die schweigsame Frau ( A Mulher Silenciosa ). Strauss desafiou o regime nazista ao se recusar a sancionar a remoção do nome de Zweig do programa [30] para a estreia da obra em 24 de junho de 1935 em Dresden . Como resultado, Goebbels se recusou a comparecer como planejado, e a ópera foi proibida após três apresentações. Zweig mais tarde colaborou com Joseph Gregor, para fornecer a Strauss o libreto de uma outra ópera, Daphne , em 1937. Pelo menos [31] outra obra de Zweig recebeu um cenário musical: o pianista e compositorHenry Jolles , que como Zweig fugiu para o Brasil para escapar dos nazistas, compôs uma canção, "Último poema de Stefan Zweig", [32] baseada em "Letztes Gedicht", que Zweig escreveu por ocasião de seu 60º aniversário em novembro de 1941 [ 33] Durante sua estada no Brasil, Zweig escreveu Brasilien, Ein Land der Zukunft ( Brasil, Terra do Futuro ), que consistia em uma coletânea de ensaios sobre a história e a cultura de seu país recém-adotado.

Zweig era um apaixonado colecionador de manuscritos. Existem importantes coleções de Zweig na Biblioteca Britânica , na Universidade Estadual de Nova York em Fredonia e na Biblioteca Nacional de Israel . A Coleção Stefan Zweig da Biblioteca Britânica foi doada à biblioteca por seus herdeiros em maio de 1986. É especializada em manuscritos de música autógrafos, incluindo obras de Bach , Haydn , Wagner e Mahler . Foi descrito como "uma das maiores coleções de manuscritos autógrafos do mundo". [34] Um item particularmente precioso é "Verzeichnüß aller meiner Werke" de Mozart [35]– ou seja, o próprio catálogo temático manuscrito do compositor de suas obras.

O ano letivo de 1993-1994 no Colégio da Europa foi nomeado em sua homenagem.

Zweig foi creditado como um dos romancistas que contribuíram para o surgimento do que mais tarde seria chamado de Mito dos Habsburgos . [36]

Bibliografia

Amok (1922)

As datas mencionadas abaixo são as datas da primeira publicação em alemão.

Ficção

  • Sonhos Esquecidos , 1900 (Título original: Vergessene Träume )
  • Primavera no Prater , 1900 (Título original: Praterfrühling )
  • A Loser , 1901 (Título original: Ein Verbummelter )
  • Na Neve , 1901 (Título original: Im Schnee )
  • Duas almas solitárias , 1901 (Título original: Zwei Einsame )
  • Os Milagres da Vida , 1903 (Título original: Die Wunder des Lebens )
  • O Amor de Erika Ewald , 1904 (Título original: Die Liebe der Erika Ewald )
  • The Star Over the Forest , 1904 (Título original: Der Stern über dem Walde )
  • The Fowler Snared , 1906 (Título original: Sommernovellette )
  • A governanta , 1907 (Título original: Die Governante )
  • Scarlet Fever , 1908 (Título original: Scharlach )
  • Crepúsculo , 1910 (Título original: Geschichte eines Unterganges )
  • A Story Told In Twilight , 1911, conto (Título original: Geschichte in der Dämmerung )
  • Burning Secret , 1913 (Título original: Brennendes Geheimnis  [ de ] )
  • Medo , 1920 (Título original: Angst )
  • Compulsão , 1920 (Título original: Der Zwang )
  • Noite Fantástica , 1922 (Título original: Phantastische Nacht )
  • Carta de uma mulher desconhecida , 1922 (Título original: Brief einer Unbekannten )
  • Moonbeam Alley , 1922 (Título original: Die Mondscheingasse )
  • Amok , 1922 (Título original: Amok ) – novela, publicada inicialmente com vários outros em Amok. Novellen einer Leidenschaft
  • The Invisible Collection , 1925 (Título original: Die unichtbare Sammlung )
  • A Queda do Coração , 1927 (Título original: Untergang eines Herzens )
  • The Invisible Collection veja Collected Stories abaixo, (Título original: Die Unsichtbare Sammlung , publicado pela primeira vez em forma de livro em 'Insel-Almanach auf das Jahr 1927' [37] )
  • O Refugiado , 1927 (Título original: Der Flüchtling. Episode vom Genfer See ).
  • Confusão de Sentimentos ou Confusão: Os Documentos Privados do Conselheiro Privado R. Von D , 1927 (Título original: Verwirrung der Gefühle ) - novela inicialmente publicada no volume Verwirrung der Gefühle: Drei Novellen
  • Vinte e quatro horas na vida de uma mulher , 1927 (Título original: Vierundzwanzig Stunden aus dem Leben einer Frau ) - novela publicada inicialmente no volume Verwirrung der Gefühle: Drei Novellen
  • Widerstand der Wirklichkeit , 1929 (em inglês como Journey into the Past (1976))
  • Buchmendel , 1929 (Título original: Buchmendel ) )
  • Contos , 1930 (Título original: Kleine Chronik. Vier Erzählungen ) – inclui Buchmendel
  • Ele fez isso? , publicado entre 1935 e 1940 (Título original: War er es? )
  • Leporella , 1935 (Título original: Leporella )
  • Collected Stories , 1936 (título original: Gesammelte Erzählungen ) – dois volumes de contos:
    1. The Chains (título original: Die Kette )
    2. Kaleidoscope (título original: Kaleidoskop ). Inclui: Casual Knowledge of a Craft , Leporella , Fear , Burning Secret , Summer Novella , The Governess , Buchmendel , The Refugee , The Invisible Collection , Fantastic Night e Moonbeam Alley
  • Incidente no Lago Genebra , 1936 (Título original: Episode am Genfer See Versão revisada de "Der Flüchtung. Episode vom Genfer See" publicado em 1927)
  • Beware of Pity , 1939 (Título original: Ungeduld des Herzens ) romance
  • Legends , uma coleção de cinco contos publicados em 1945 (Título original: Legenden - publicado pelo menos uma vez como Lendas Judaicas , embora apenas duas das histórias pertençam à cultura judaica):
    1. "Rachel Arraigns with God", 1930 (Título original: "Rahel rechtet mit Gott"
    2. "Os olhos do meu irmão, para sempre", 1922 (Título original: "Die Augen des ewigen Bruders")
    3. "O Candelabro Enterrado", 1936 (Título original: "Der begrabene Leuchter")
    4. "The Legend of The Third Dove", ano de escrita desconhecido (Título original: "Die Legende der dritten Taube")
    5. "The Dissimilar Doubles", ano de escrita desconhecido (Título original: "Kleine Legende von den gleich-ungleichen Schwestern")
  • The Royal Game or Chess Story or Chess (Título original: Schachnovelle ; Buenos Aires, 1942) – novela escrita em 1938–41,
  • Clarissa , romance inacabado de 1981
  • The Debt Paid Late , 1982 (Título original: Die spät bezahlte Schuld )
  • The Post Office Girl , 1982 (Título original: Rausch der Verwandlung. Roman aus dem Nachlaß ; A intoxicação da metamorfose )
  • Schneewinter: 50 zeitlose Gedichte , 2016, editor Martin Werhand . Melsbach, Martin Werhand Verlag 2016

Biografias e textos históricos

  • Émile Verhaeren (o poeta belga ), 1910
  • Três Mestres: Balzac , Dickens , Dostoeffsky , 1920 (Título original: Drei Meister. Balzac – Dickens – Dostojewski . Traduzido para o inglês por Eden e Cedar Paul e publicado em 1930 como Three Masters )
  • Romain Rolland: The Man and His Work , 1921 (Título original: Romain Rolland . Der Mann und das Werk )
  • Nietzsche , 1925 (Originalmente publicado no volume intitulado: Der Kampf mit dem Dämon. Hölderlin – Kleist – Nietzsche )
  • Momentos decisivos na história , 1927 (Título original: Sternstunden der Menschheit ). Traduzido para o inglês e publicado em 1940 como The Tide of Fortune: Twelve Historical Miniatures ; [38] retraduzido em 2013 por Anthea Bell como Shooting Stars: Ten Historical Miniatures [39]
  • Adeptos do autorretrato: Casanova , Stendhal , Tolstoy , 1928 (Título original: Drei Dichter ihres Lebens. Casanova – Stendhal – Tolstoi )
  • Joseph Fouché , 1929 (Título original: Joseph Fouché . Bildnis eines politischen Menschen )
  • Curandeiros Mentais: Franz Mesmer , Mary Baker Eddy , Sigmund Freud , 1932 (Título original: Die Heilung durch den Geist. Mesmer, Mary Baker-Eddy, Freud )
  • Marie Antoinette: The Portrait of an Average Woman , 1932 (Título original: Marie Antoinette. Bildnis eines mittleren Charakters ) ISBN  4-87187-855-4
  • Erasmus de Rotterdam , 1934 (Título original: Triumph und Tragik des Erasmus von Rotterdam )
  • Maria Stuart , 1935. ISBN 4-87187-858-9 
  • The Right to Heresy: Castellio contra Calvin , 1936 (Título original: Castellio gegen Calvin oder Ein Gewissen gegen die Gewalt )
  • Conqueror of the Seas: The Story of Magellan , 1938 (Título original: Magellan. Der Mann und seine Tat ) ISBN 4-87187-856-2 
  • Montaigne , 1941 ISBN 978-1782271031 
  • Amerigo , 1942 (Título original: Amerigo. Geschichte eines historischen Irrtums ) – escrito em 1942, publicado um dia antes de sua morte ISBN 4-87187-857-0 
  • Balzac , 1946 – escrito, como Richard Friedenthal  [ de ] descreve em pós-escrito, por Zweig na capital brasileira de veraneio de Petrópolis , sem acesso aos arquivos, cadernos, listas, tabelas, edições e monografias que Zweig acumulou por muitos anos e que levou consigo para Bath, mas que deixou para trás quando foi para a América. Friedenthal escreveu que Balzac "deveria ser sua magnum opus, e ele estava trabalhando nisso há dez anos. Era para ser um resumo de sua própria experiência como autor e do que a vida lhe ensinou." Friedenthal afirmou que "O livro estava terminado", embora nem todos os capítulos estivessem completos; ele usou uma cópia de trabalho do manuscrito Zweig deixou para trás para aplicar "os toques finais", e Friedenthal reescreveu os capítulos finais ( Balzac , traduzido por William e Dorothy Rose [New York: Viking, 1946], pp. 399, 402).
  • Paul Verlaine , Copyright 1913, Por LE Basset Boston, Mass., EUA. tradução inglesa autorizada por OF Theis. Luce e Companhia Boston. Maunsel and Co. Ltd Dublin e Londres.

Tocam

  • Tersites , 1907
  • Das Haus am Meer , 1912
  • Jeremias , 1917
  • Volpone de Ben Jonson . Uma comédia sem amor em 3 atos, livremente adaptada , 1928

Outro

  • The World of Yesterday (Título original: Die Welt von Gestern ; Estocolmo, 1942) – autobiografia
  • Brasil, Terra do Futuro (Título original: Brasilien. Ein Land der Zukunft ; Bermann-Fischer, Estocolmo 1941)
  • Journeys (Título original: Auf Reisen ; Zurique, 1976); coleção de ensaios
  • Encontros e Destinos: Adeus à Europa (2020); coleção de ensaios

Letras

  • Darién J. Davis; Oliver Marshall, eds. (2010). Cartas Sul-Americanas de Stefan e Lotte Zweig: Nova York, Argentina e Brasil, 1940–42 . Nova York: Continuum. ISBN 978-1441107121.
  • Henry Alsberg , ed. (1954). Stefan e Friderike Zweig: sua correspondência, 1912-1942 . Nova York: Hastings House. OCLC  581240150 .

Adaptações

Carta de uma mulher desconhecida foi filmado em 1948 por Max Ophüls.

Beware of Pity foi adaptado para um filme de 1946 com o mesmo título , dirigido por Maurice Elvey . [40]

Uma adaptação de Stephen Wyatt de Beware of Pity foi transmitida pela BBC Radio 4 em 2011. [41]

O filme brasileiro de 2012 A Coleção Invisível , dirigido por Bernard Attal, é baseado no conto de mesmo título de Zweig. [42]

O filme francês de 2013 A Promise ( Une promesse ) é baseado na novela de Zweig Journey into the Past ( Reise in die Vergangenheit ).

O filme suíço de 2013 Mary Queen of Scots dirigido por Thomas Imbach é baseado em Maria Stuart de Zweig . [43]

Os créditos finais do filme de 2014 de Wes Anderson , The Grand Budapest Hotel, dizem que o filme foi inspirado em parte pelos romances de Zweig. Anderson disse que ele havia "roubado" dos romances de Zweig Beware of Pity e The Post-Office Girl ao escrever o filme, e apresenta os atores Tom Wilkinson como o autor, um personagem vagamente baseado em Zweig, e Jude Law como seu filho mais jovem e idealizado. auto visto em flashbacks. Anderson disse ainda que o protagonista do filme, o concierge Gustave H., interpretado por Ralph Fiennes, foi baseado em Zweig. Na sequência de abertura do filme, uma adolescente visita um santuário para o autor, que inclui um busto dele usando óculos tipo Zweig e celebrado como o "Tesouro Nacional" de seu país. [44]

O filme austríaco-alemão-francês de 2017 Vor der Morgenröte ( Stefan Zweig: Farewell to Europe ) narra as viagens de Stefan Zweig nas Américas do Norte e do Sul, tentando chegar a um acordo com seu exílio de casa.

O curta-metragem americano de 2018 Crepúsculo de Clemy Clarke é baseado no conto de Zweig "A Story Told in Twilight" e se mudou para uma quinceanera na década de 1980 em Nova York. [45]

O filme para TV La Ruelle au clair de lune (1988) de Édouard Molinaro é uma adaptação do conto Moonbeam Alley de Zweig . [46]

Veja também

Referências

  1. ^ "Zweig" . Dicionário Unabridged de Random House Webster .
  2. ^ a b Kavanagh, Julie (Primavera de 2009). "Stefan Zweig: O Superstar Secreto" . Vida Inteligente . Arquivado a partir do original em 8 de dezembro de 2012.
  3. Giorgio Manacorda (2010) Nota bibliografica in Joseph Roth , La Marcia di Radetzky , Newton Classici quote: "Stefan Zweig, l'autore del più famoso libro sull'Impero asburgico, Die Welt von Gestern
  4. ^ Prof.Dr. Klaus Lohrmann "Jüdisches Wien. Kultur-Karte" (2003), Mosse-Berlin Mitte gGmbH (Verlag Jüdische Presse)
  5. Egon Hostovský: Vzpomínky, studie a dokumenty o jeho díle a osudu , Sixty-Eight Publishers, 1974
  6. Gabe Friedman (17 de janeiro de 2015). "Conheça o romancista judeu-austríaco que inspirou 'O Grande Hotel Budapeste' de Wes Anderson " . Haaretz . com .
  7. ^ Epstein, Joseph. "Stefan Zweig, homem europeu" . Primeiras coisas . Recuperado em 1 de junho de 2019 .
  8. ^ Zweig, Stefan (1942). "Capítulo IX: As primeiras horas da guerra de 1914". O mundo de ontem . Capítulo IX, parágrafo 20 começando "Como resultado": Código de localização do Kindle 3463: Plunkett Lake Press (ebook). {{cite book}}: CS1 maint: location (link)
  9. ^ Elon, Amos (2002). A pena de tudo . Nova York: Metropolitan Books. pág. 287 . ISBN  9780805059649.
  10. ^ Zweig, Friderike (1948). Stefan Zweig – Wie ich ihn erlebte . Berlim: FA Herbig Verlag.
  11. ^ Zweig, Friderike (1961). Stefan Zweig: Eine Bildbiografia . Munique: Kindler.
  12. ^ "Entrada de índice para o casamento de Altmann, Elisabet C., Cônjuge: Zweig, distrito de registro: Bath Register volume e página nº: 5c, 1914" . Transcrição dos registros nacionais de casamento da Inglaterra e do País de Gales índice 1837–1983 . ONS . Recuperado em 17 de dezembro de 2016 .
  13. Thuswaldner, Werner (14 de dezembro de 2000). "Wichtiges zu Stefan Zweig: Das Salzburger Literaturarchiv erhielt eine bedeutende Schenkung von Wilhelm Meingast" [Importante para Stefan Zweig: O Arquivo de Literatura de Salzburgo recebeu uma doação significativa de Wilhelm Meingast]. Salzburger Nachrichten (em alemão). Arquivado a partir do original em 15 de março de 2014 . Recuperado em 15 de março de 2014 .
  14. ^ Dias Carneiro, Júlia (30 de abril de 2009). "Revivendo o país do futuro de Stefan Zweig " Deutsche Welle . Arquivado a partir do original em 9 de outubro de 2012 . Recuperado em 23 de fevereiro de 2012 .
  15. ^ George Prochnik (6 de fevereiro de 2017). "Quando é tarde demais para parar o fascismo, de acordo com Stefan Zweig" . O nova-iorquino . Recuperado em 10 de setembro de 2021 .
  16. ^ "Stefan Zweig, esposa final vive no Brasil" . O New York Times . A Imprensa Unida . 23 de fevereiro de 1942 . Recuperado em 28 de novembro de 2017 . Stefan Zweig, Esposa End Vive No Brasil; Autor nascido na Áustria deixou um bilhete dizendo que não tinha forças para continuar - autor e esposa morrem em compacto: Zweig e esposa cometem suicídio
  17. ^ "Marcos, 2 de março de 1942" . Tempo . 2 de março de 1942. Arquivado a partir do original em 14 de outubro de 2010 . Recuperado em 28 de novembro de 2017 . Faleceu. Stefan Zweig, 60, romancista austríaco, biógrafo, ensaísta (Amok, Adepts in Self-Portraiture, Marie Antoinette) e sua esposa, Elizabeth; por veneno; em Petrópolis, Brasil. Nascido em uma rica família judia em Viena, Zweig passou de um viajante casual para a literatura após a Primeira Guerra Mundial, escreveu prolificamente, suavemente, com sucesso em muitas formas. Seus livros banidos pelos nazistas, fugiu para a Grã-Bretanha em 1938 com a chegada das tropas alemãs, tornou-se súdito britânico em 1940, mudou-se para os EUA no mesmo ano, para o Brasil no seguinte. Ele nunca foi franco contra o nazismo, acreditava que artistas e escritores deveriam ser independentes da política. Amigos no Brasil disseram que ele deixou um bilhete de suicídio explicando que era velho, um homem sem pátria, cansado demais para começar uma nova vida. Seu último livro: Brasil: Terra do Futuro.
  18. ^ Banville, John (27 de fevereiro de 2009). "Almas arruinadas" . O Guardião . ISSN 0261-3077 . Recuperado em 8 de agosto de 2017 .  
  19. ^ Fowles, John (1981). Introdução ao "Jogo Real" . Nova York: Obelisco. pág. ix.
  20. ^ a b Walton, Stuart (26 de março de 2010). "Stefan Zweig? Apenas um estilista pedestre" . O Guardião . Londres.
  21. ^ a b c Lezard, Nicholas (5 de dezembro de 2009). "O Mundo de Ontem por Stefan Zweig" . O Guardião . Londres . Recuperado em 26 de setembro de 2010 .
  22. ^ "Plunkett Lake Press" . Stefan Zweig .
  23. ^ Rohter, Larry. "Stefan Zweig, romancista austríaco, sobe novamente". O New York Times . 28 de maio de 2014
  24. ^ Liukkonen, Petri (2008). "Stefan Zweig" . Finlândia: Biblioteca Pública Kuusankoski. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2015 – via kirjasto.sci.fi.
  25. ^ a b Hofmann, Michael (2010). "Vermicular Dither" . London Review of Books . 32 (2): 9–12 . Recuperado em 8 de junho de 2014 .
  26. Jones, Lewis (11 de janeiro de 2010), "The World of Yesterday" , The Telegraph , arquivado do original em 12 de janeiro de 2022 , recuperado em 2 de novembro de 2015
  27. Lezard, Nicholas (4 de dezembro de 2009), "The World of Yesterday by Stefan Zweig" , The Guardian , recuperado em 2 de novembro de 2015
  28. Brody, Richard (14 de março de 2014), "Stefan Zweig, Wes Anderson, and a Longing for the Past" , The New Yorker , recuperado em 2 de novembro de 2015
  29. ^ Sigmund Freud , Stefan Zweig, Correspondência , Edições Rivages, Paris, 1995, ISBN 978-2869309654 
  30. ^ Richard Strauss/Stefan Zweig: BriefWechsel , 1957, traduzido como A Confidential Matter , 1977
  31. ^ "Autor: Stefan Zweig (1881-1942)" . Fundação REC Music . Recuperado em 28 de novembro de 2017 .
  32. Musica Reanimata of Berlin, Henry Jolles acessado em 25 de janeiro de 2009
  33. Esboço biográfico de Stefan Zweig na Casa Stefan Zweig acessado em 28 de setembro de 2008
  34. ^ "A coleção de música Zweig" . b.uk. _
  35. "Verzeichnüß aller meiner Werke" de Mozart na British Library Online Gallery acessado em 14 de outubro de 2009
  36. ^ Thompson, Helen (2020). "O Mito Habsburgo e a União Europeia" . Em Duina, Francesco; Merand, Frédéric (eds.). Mal-estar da Europa: A Longa Visão . Pesquisa em Sociologia Política . Vol. 27. Publicação do Grupo Esmeralda . págs. 45-66. doi : 10.1108/S0895-993520200000027005 . ISBN  978-1-83909-042-4. ISSN  0895-9935 . S2CID  224991526 .
  37. ^ "Die unichtbare sammlung" . Biblioteca aberta . Recuperado em 28 de abril de 2014 .
  38. ^ "Stefan Zweig." A Enciclopédia Columbia, Sexta Edição. 2008. Encyclopedia. com. 21 de novembro de 2010.
  39. ^ "Estrelas cadentes: dez miniaturas históricas" . Imprensa Pushkin. 2015 . Recuperado em 4 de maio de 2020 .
  40. ^ "Cuidado com a Piedade (1946)" . BFI . Arquivado a partir do original em 11 de julho de 2012.
  41. ^ "Serial clássico: Stefan Zweig - Beware of Pity" . Recuperado em 8 de julho de 2014 .
  42. ^ " A Coleção Invisível ( A Coleção Invisível ): Rio Review" . O repórter de Hollywood . 20 de outubro de 2012 . Recuperado em 13 de junho de 2020 .
  43. ^ Mary Queen of Scots (2013) no IMDb
  44. ^ Anderson, Wes (8 de março de 2014). " 'Eu roubei de Stefan Zweig': Wes Anderson sobre o autor que inspirou seu último filme" . The Daily Telegraph (entrevista). Entrevistado por George Prochnik. Arquivado a partir do original em 12 de janeiro de 2022 . Recuperado em 28 de novembro de 2017 .
  45. ^ Crepúsculo (2018) no IMDb
  46. ^ La ruelle au clair de lune . Grupo de Produção Autoral. OCLC 494237410 .  

Leitura adicional

  • Elizabeth Allday, Stefan Zweig: A Critical Biography , J. Philip O'Hara, Inc., Chicago, 1972 ISBN 978-0879553012 
  • Darién J. Davis; Oliver Marshall, eds. (2010). Cartas Sul-Americanas de Stefan e Lotte Zweig: Nova York, Argentina e Brasil, 1940–42 . Nova York: Continuum. ISBN 978-1441107121.
  • Alberto Dines , Morte no Paraíso, a Tragédia de Stefan Zweig , Editora Nova Fronteira 1981, (rev. ed.) Editora Rocco 2004
  • Alberto Dines, Tod im Paradies. Die Tragödie des Stefan Zweig , Edição Büchergilde, 2006
  • Randolph J. Klawiter, Stefan Zweig. Uma Bibliografia Internacional , Ariadne Press, Riverside, 1991 ISBN 978-0929497358 
  • Martin Mauthner, escritores alemães no exílio francês, 1933-1940 , Vallentine Mitchell, Londres 2007, ISBN 978-0-85303-540-4 
  • Oliver Matuschek , Three Lives: A Biography of Stefan Zweig , traduzido por Allan Blunden , Pushkin Press, 2011 ISBN 978-1906548292 
  • Donald A. Prater, European of Yesterday: A Biography of Stefan Zweig , Holes and Meier, (rev. ed.) 2003 ISBN 978-0198157076 
  • George Prochnik, The Impossible Exile: Stefan Zweig at the End of the World , Random House , 2014, ISBN 978-1590516126 
  • Giorgia Sogos, Le Biografie di Stefan Zweig tra Geschichte e Psychologie: Triumph und Tragik des Erasmus von Rotterdam, Marie Antoinette, Maria Stuart , Firenze University Press , 2013 ISBN 978-88-6655-508-7 
  • Giorgia Sogos, Ein Europäer in Brasilien zwischen Vergangenheit und Zukunft. Utopische Projektionen des Exilante Stefan Zweig , in: Lydia Schmuck, Marina Corrêa (Hrsg.): Europa im Spiegel von Migration und Exil / Europa no contexto de migração e exílio. Projektionen – Imaginationen – Hybride Identitäten/Projecções – Imaginações – Identidades híbridas, Frank & Timme Verlag, Berlim , 2015 ISBN 978-3-7329-0082-4 
  • Giorgia Sogos, Stefan Zweig, der Kosmopolit. Studiensammlung über seine Werke e outros Beiträge. Eine kritische Analyze , Free Pen Verlag, Bonn , 2017 ISBN 978-3-945177-43-3 
  • Giorgia Sogos Wiquel, L'esilio impossibile. Stefan Zweig alla fine del mondo , em: Toscana Ebraica. Bimestrale di notizie e cultura ebraica. Ano 34, n. 6. Firenze: Novembro-Dicembre 2021, Cheshwan – Kislew-Tevet 5782, Firenze , 2022 ISSN 2612-0895 
  • Marion Sonnenfeld (editor), The World of Yesterday's Humanist Today. Anais do Simpósio Stefan Zweig , textos de Alberto Dines, Randolph J. Klawiter, Leo Spitzer e Harry Zohn, State University of New York Press, 1983
  • Vanwesenbeeck, Birger; Gelber, Mark H. (2014). Stefan Zweig e Literatura Mundial: Perspectivas do Século XXI . Rochester: Camden House. ISBN 9781571139245.
  • Friderike Zweig , Stefan Zweig , Thomas Y. Crowell Co. , 1946 (relato de sua vida por sua primeira esposa)

links externos

Bibliotecas

Edições eletrônicas